segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Força Margarida (eles merecem…)

A maneira mais fulminante, embora insidiosa de acabar com ele de vez, coisa que até agora não conseguiram, por existir muito forte um desejo de filmar, uma diferente forma de ver o mundo, e de o ouvir, e personalidades que o defendiam, com a própria vida se fosse o caso, como o faria João César Monteiro, o Manoel de Oliveira, e outros, o golpe fulminante está a acontecer perante os nossos olhos. Filmes só para quem eles querem, de preferência sem realizador, em inglês ou num linguajar televisivo-publicitário audiovisual. Produtores que são uma espécie de Zanuks da Picheleira, malandros que aprenderam os truques para vender um “produto” para o mercado à conquista da tal indústria que atrás do nevoeiro é paga pelo contribuinte, esse sim cada vez mais estúpido, graças a Deus e à ausência de crítica.

2 comentários:

Victor Afonso disse...

Muito bem dito!

José Miguel Oliveira disse...

Muito interessante, Margarida... Mas, e sugestões para acabar com "esta" calamidade? Alguma? Não?...
Bem me parecia.

A Lusitânia da malediciência pela malediciência, no seu estado mais puro.
Não que eu esteja totalmente contra o que ela diz... Identifico-me com o seu mal estar.
Mas, com este tipo de afirmações, ela apenas nos relembra esse mal estar. Não tem nenhuma opinião concreta para o sustentar, opinar, sugerir algum outro tipo de hipóteses.

É a mesma coisa que eu estar com uma gripe e em vez de ir para a cama, ir apanhar mais frio?

Lamento, mas não concordo com isto.
Irrita-me.
E desculpe usar o seu estaminé, José, para este desabafo.
Ao menos, você quando manda à merda alguém, diz quem é.
Abraço.