terça-feira, 3 de março de 2009

outsiders

…que andava a pensar? que “Rebel Without a Cause” é dos quatro o mais lírico e o mais cósmico? que “The Last Picture Show” é aquele onde a nostalgia se faz corpo e o lirismo dói de igual forma? que “Rumble Fish”é poesia estupefaciente, delírio indizível? …sim, mas só até à próxima revisão ou estado de espírito, até porque falta um. qual rapaz? “The Outsiders”, aquele que me surge mais carnal, mais em primeiro grau, mais ao nível a que vivi, incluindo certos delírios exportados da estratosfera. enfim, guardadas as comparações e distâncias. you know? of course.

…isso e outra coisa…qual coisa? aquela ideia – um pouco tonta, um pouco inocente - de que depois de ver coisa assim ficar a achar que o cinema só pode existir da chamada maneira clássica. ou talvez da chamada maneira Nicholas Ray. ok, já são devaneios escusados…

estava ainda a pensar que posso incluir no grupinho um filme português que têm a actriz mais linda do mundo. enfim, quando sair em dvd digo qualquer coisa…

7 comentários:

João disse...

Vi ontem The Outsiders pela primeira vez. Filme magnífico.

Dos 4 que referes não me consigo decidir qual o meu preferido

Cláudia disse...

Vi e revi vezes sem conta quando era adolescente. Li o livro várias também. De todos os que referes (e de gosto) acaba por ser o que é mais próximo por ter sido o primeiro a ser visto.

PS - "Os Mutantes"?

José Oliveira disse...

por acaso a actriz é a mesma, o filme é mais recente e aposto que o realizador gosta de todos estes filmes. eheh

Carlos Pereira disse...

O Capacete Dourado?

José Oliveira disse...

sure.

Cláudia disse...

Podiam editar os 2 em dvd ;)

José Oliveira disse...

ah, sem duvida, é lamentavél "Os Mutantes", obra-prima da Teresa Vilaverde, não ter edição em DVD.